Companhia, em 4 anos, consegue aumentar flexibilidade e melhorar engajamento dos funcionários

Em um movimento constante de análise para melhorar o clima organizacional e reter talentos, a Roche percebeu que  alternativas de trabalho mais flexíveis, como home office e flexibilidade no cumprimento de horários eram fatores de alto impacto para os funcionários.

Nos últimos 4 anos a empresa trilhou uma jornada de levantamento de necessidades, fundamentação técnica, mitigação de riscos e mudança organizacional para migrar de um cenário no qual as pessoas precisavam trabalhar mais horas que a jornada regular, para estabelecer uma plataforma de trabalho mais flexível. 

Tornou-se chave tratar a causa raiz do problema focada em 3 pilares: Sensibilização, Informação e Gestão.

Etapas realizadas durante a implantação da Política Home Office

SENSIBILIZAÇÃO

Muitas vezes, a extensão do horário de trabalho passa pelo hábito e pela cultura dos próprios funcionários e gestores.

Dessa forma, investiu-se na otimização do tempo de trabalho incentivando os colaboradores a, pelo menos, sair mais cedo às sextas-feiras.

Em uma ação implementada, os funcionários passaram a receber uma ligação programada do Presidente e outros gestores sêniors às 17h00 da sexta feira, lembrando que era hora de sair e começar a aproveitar o final de semana. Em uma outra ação foi colocado um despertador em cada departamento para que todos ficassem atentos à hora da saída.

Outra vertente da sensibilização passou por dar mais visibilidade e acessibilidade para os benefícios de flexibilidade já existentes que não eram utilizados como o horário flexível, que permitia chegar duas horas mais cedo ou mais tarde em relação ao horário padrão (entre 6 e 10h).   

O passo inicial foi alertar os gestores, “um dos problemas era que eles faziam reuniões em horários fora dessa flexibilidade, então começamos a conversar sobre isso”, conta Denise Horato, diretora de RH da Roche Farma.

Outra ação foi implementar linhas de fretado circular entre a Roche e as estações de metrô/trem próximas, facilitando o acesso a Roche de acordo com a necessidade do funcionário e não apenas atrelado ao horário das linhas de fretado de trajeto e horário regular no início e término do dia.

INFORMAÇÃO

As informações sobre horas extras ficavam sob responsabilidade de cada gestor que acabavam tendo apenas a visão parcial de sua área ou time.

A informação consolidada em relatórios por área, por mês e com visibilidade de RH e demais diretores permitiu uma análise sistematizada para identificação das áreas e épocas nos quais havia oportunidade de melhoria.

A estrutura foi melhor adequada para acomodar estas necessidades e esclarecimentos da legislação de horas extras foram realizados com gestores para que estes também pudessem monitorar e orientar adequadamente seus funcionários.

Outra ação neste pilar foi a implantação de um sistema de controle de ponto web based, permitindo também maior flexibilidade de registro de ponto dos  funcionários elegíveis. 

Um dos problemas era que eles faziam reuniões em horários fora dessa flexibilidade, então começamos a conversar sobre isso

GESTÃO

O trabalho dos Business Partners junto aos gestores no mapeamento das situações críticas foi chave para que a Roche pudesse migrar para um ambiente de melhor utilização das horas diárias de trabalho e atendimento da legislação.

As gestão passou a ser o motor incentivador a adoção de cada vez mais flexibilidade, sempre tendo em vista não perder a produtividade. Sendo eles a serem os apoiadores de novas ações neste sentido.

Esta jornada rumo à flexibilidade passou pelo projeto piloto de Summer Friday, implementado entre os meses de Dezembro de 2015 a Fevereiro de 2016, que consistia no funcionário aderir ao modelo de trabalho com 45 minutos a mais de segunda a quinta feira, permitindo sair 3 horas mais cedo na sexta – que se tornou definitivo a partir de Abril de 2016. E também pelo lançamento do Home Office a princípio apenas para funcionários não elegíveis a marcação de ponto também a partir de Abril de 2016.

Todas as etapas sempre foram monitoradas de perto por pesquisas de avaliação de funcionários e gestores, bem como por apresentações de resultados ao board de diretores para acompanhamento da evolução percebida.

A Roche chega ao ápice dessa jornada com o apoio irrestrito da gestão e última ampliação do Pacote de Flexibilidades Roche realizada em Abril de 2017 com a extensão do Home Office a todos os colaboradores, oferecendo aos colaboradores que ainda não possuem notebook a opção de pegar computadores emprestados.  E a implementação do Short Friday 2.0 que independente de adesão permite que qualquer funcionário opte por antecipar até 2 horas diárias e sair até 3 horas mais cedo na sexta, de acordo com o alinhamento com seu gestor e sua conveniência.

Toda essa jornada, associada a práticas de gestão e desenvolvimento de funcionários vem dando a Roche sustentação para permanecer entre as 35 empresas melhores para se começar a carreira no Brasil pelo ranking da revista Você/AS, ser Destaque no GPTW Mulher como a 9ª colocada no ranking 2017 e mantendo níveis crescentes de engajamento com 81% no ranking GPTW de 2016. As pesquisas de clima mostram que os funcionários falam com muito orgulho da Marca e a empresa tem conseguido atrair cada vez mais as gerações mais jovens.

Quer receber nossos conteúdos? Se inscreva na Newsletter.